catrivana2.jpg
O povoado neolítico da Catrinava
O povoado neolítico da Catrivana situa-se na freguesia de S. João das Lampas mais exactamente nas proximidades da vila da Assafora, na margem esquerda da ribeira da Samarra.
O início da exploração data de 1950, sob a responsabilidade de Prescott Vicente e Cunha Senão, já que a toponímia do local (Catrivana) sugeriria aos investigadores etimologias célticas. Oito anos mais tarde começariam campanhas arqueológicas sistemáticas que de algum modo confirmariam as suspeitas dos arqueólogos. Na verdade, encontraram aí uma estação situada num ponto elevado, cujas encostas muito pedrego­sas caem sobre a margem de um curso de água (ribeira de Samarra), cujas características e espólio encontrado sugerem um povoado neolítico de meados ou finais do IV milénio a.C.
Contudo, não se descobriu qualquer vestígio humano ao nível de monumentos (casas, muros, acessos, etc.). Em contrapartida, descobriram­-se vestígios significativos de cerâmica (inúmeros fragmentos sem deco­ração), pequenos machados de diorito e anfibolito, um furador de osso e peças avulsas (lâminas de sílex e lascas de quartzito). Vestígios que estão também depositados no Museu Regional de Sintra. Perto deste povoado, na margem esquerda da elevação, descobriu-se uma estação luso-roma­na, provavelmente, uma necrópole.